Saiba tudo sobre Impressora para Sublimação - Diferencial Print

Saiba tudo sobre Impressora para Sublimação

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Conforme já destacamos em artigos anteriores aqui no Blog da Diferencial Print, o processo de sublimação não é um bicho de sete cabeças. Muito pelo contrário, é uma técnica bastante simples de pôr em prática e que pode alavancar a vida profissional de quem tem vontade de ir fundo no tema.

O texto a seguir tem por intenção auxiliar você leitor e possivelmente cliente da Diferencial Print no entendimento, identificação e compra de um material importante na etapa do trabalho de personalização: a impressora para sublimação.

O mercado oferece uma variedade de opções de impressoras que podem confundir sua cabeça no momento da compra. Os modelos comumente vistos são as impressoras jato de tinta, pigmentada, a laser e 3D. Mas você sabe as diferenças entre elas? Quais as aplicações mais utilizadas para cada uma? Sabia que uma impressora sublimática na maioria dos casos nada mais é do que uma impressora comum com pequenas adaptações?

Pois é, essas e outras dúvidas nós abordaremos a partir de agora e deixaremos esclarecida esta pequena parte do universo da sublimação. Vamos nessa!

 

O que é e para que serve uma Impressora para Sublimação

Para personalizar substratos como canecas, camisas, chaveiros, copos, placas e outros tantos produtos resinados e próprios para sublimação, é necessário o uso correto dos componentes que antecedem a prensagem do material – este que é o ato final de toda a cadeia sublimática. E o caminho a percorrer começa na impressão da arte para estampa, que se dá na impressora.

Até pouco tempo atrás não havia um modelo verdadeiro de impressora própria de fábrica para tinta sublimática, contudo, em 2019, a Epson introduziu no mercado a SureColor F570, modelo que não necessita de adaptações e imprime de forma direta para a sublimação. Todavia, o caminho mais natural em termos de iniciação na estamparia e mesmo se tratando de um investimento financeiro menor é trabalhar com os modelos de impressoras ‘comuns’ e adaptáveis à sublimação. Sabe aquelas impressoras jatos de tinta para uso cotidiano? Então, são elas mesmas as mais usadas para impressão de estampas que posteriormente se tornarão personalizações.

A transformação de uma impressora jato de tinta de uso convencional para o trabalho de sublimação ocorre quando instalamos nela um Bulk Ink de armazenamento de tinta sublimática (explicaremos esse detalhe da tinta sublimática a seguir), que, traduzindo em miúdos, nada mais é do que um ‘tanque externo’ de maior capacidade de reservar as tintas que são conectadas à impressora por meio das cabeças de impressão. Esse sistema traz vantagens como o aumento da variedade de cores e o volume superior dos cartuchos de tinta.

O detalhe da tinta sublimática se faz necessário ressaltar: somente ela é própria para trabalhos de sublimação e faz com que uma impressora convencional se torne uma impressora sublimática. Tintas corante ou pigmentada estão fora de cogitação, ok? Vale entender também se a impressora em questão permite fazer uso especial desta tinta, pois por mais que um bulk ink seja instalado é possível de ocorrer mau funcionamento no processo (como por exemplo o entupimento das cabeças de impressão) e não é isso que queremos.

Por último e não menos relevante, atente-se ao uso do papel sublimático no momento da impressão. É especificamente com ele que sua arte impressa poderá personalizar os seus substratos, pois sua composição especial em contato com a resina de uma caneca ou placa, por exemplo, permitirá a passagem e fixação da arte.

 

Diferenças entre impressora sublimática, pigmentada, laser e 3D

Agora que compreendemos que uma impressora sublimática (na grande parcela dos casos) nada mais é do que uma impressora jato de tinta personalizada com bulk ink, vamos entender um pouco dos demais modelos existentes no mercado.

Você já sabe que o que faz uma impressora se tornar sublimática é única e necessariamente o uso da tinta sublimática, certo? Pois essa definição também se aplica à pigmentada. A tinta pigmentada é versátil e serve tanto para estamparia como para impressão em papel fotográfico, mas sua composição é diferenciada e por isso há o destaque. A tinta pigmentada só serve para estampar tecidos em algodão, pois ela gruda sobre o material, enquanto a sublimática é própria para qualquer produto resinado, pois penetra no substrato. As impressoras comuns de fábrica já vêm assegurada de seu uso mais voltado à tinta pigmentada e/ou corante.

Um outro modelo bastante difundido em escritórios e também domicílios é a impressora a laser. Elas imprimem por meio de um toner interno que armazena um pó bastante fino que gruda no papel no ato da impressão. Em razão disso, as impressoras a laser conseguem realizar um maior número de impressões em menor tempo se comparado com o modelo jato de tinta.

Por último apresentamos a impressora 3D. Ela não tem função de impressão direto no papel, e talvez por isso seja estranho o fato dela ser listada aqui. Sua utilização se dá via filamentos de plásticos que são aquecidos e resfriados em sequência, criando estruturas projetadas em um computador – como por exemplo uma pequena estátua ou maquete. É fundamentalmente usada para trabalhos envolvendo arquiteturas.

 

Recomendações de Impressoras para Sublimação

Nunca é demais lembrar: instale o sistema bulk ink (tanque externo) na sua impressora jato de tinta e preencha com tinta sublimática que automática sua impressora estará apta a imprimir artes adequadas ao processo de sublimação. Porém atenção: não são todas as marcas e modelos que admitem uso de tinta sublimática, isso porque sua composição e espessura pode acarretar em pequenos entupimentos ou falta de qualidade na impressão final.

A marca HP é conhecida no mercado de impressoras, mas é imprópria para a finalidade da sublimação. Isso se deve ao fato de que a tecnologia é térmica, uma vez que para um modelo jato de tinta ser transformado em sublimático é preciso que tecnologia da cabeça de impressão seja elétrica.

A recomendação direcionada à compra de uma impressora de sublimação é diretamente ligada à linha L da marca Epson. Elas já vêm com sistema bulk ink acoplado à estrutura, precisando apenas do preenchimento da tinta sublimática para dar início ao processo de impressão. Destaca-se aqui os modelos mais recomendados para esta finalidade: Epson L220, Epson L120, Epson L396, Epson 3110 e Epson 3150. Os custos? Bem, deixamos uma média de preço que parte de R$ 1.600,00, podendo variar de modelo para modelo. Confira as opções no site da Diferencial Print.

 

Considerações finais

Esperamos que você tenha compreendido este que é um elemento importantíssimo do trabalho de sublimação. As impressoras são parte inicial do processo que carregam uma importância destacável, e que podem gerar dor de cabeça se não conhecermos suas especificidades.

Sempre esteja em constante avaliação das marcas, nunca compre de cara. Aqui passamos um resumo mais direto, existe uma infinidade de informações complementares para evolução dentro da sublimação. Não misture tintas, não tente passar por cima das configurações do seu modelo de impressora e para qualquer sinal de dúvida o ideal é sempre ter uma opinião especializada sobre o tema. E acreditamos que aqui, no Blog da Diferencial Print, você tenha encontrado a sua.

Compartilhe

Sobre o Autor