Cinco problemas comuns na Sublimação e como resolvê-los - Diferencial Print

Cinco problemas comuns na Sublimação e como resolvê-los

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Quem trabalha com sublimação sabe que imprevistos podem acontecer a qualquer momento, e isso independe se essas dificuldades são controláveis ou não. Alguns contratempos podem ser evitados, outros apenas minimizados. Fato é que em alguma hora você fatalmente passará por uma situação adversa seja ela no momento inicial da impressão da arte, no instante da personalização em si ou na pós-sublimação.

Esse texto tem como propósito listar 5 problemas comuns no universo da sublimação e como resolvê-los (ou ao menos tentar minimizar seus riscos). Os incômodos que serão listados partem do princípio de serem comumente vistos, e aqui releva-se o descuido de quem cometeu o erro – até porque muitas das vezes não há conhecimento prévio sobre os detalhes que podem acarretar em um trabalho ruim no fim das contas, e daí passam despercebidos aos olhares.

Antes de aprofundarmos no tema, vale destacar que o blog da Diferencial Print traz outros diversos artigos sobre impressoras sublimáticas, prensas, sublimação de tecidos e também itens que podem agregar valor no seu dia a dia, com dicas fundamentais para o melhor resultado possível na personalização dos produtos.

Vamos à lista!

 

1 – Impressora Sublimática

O blog tem um texto específico falando sobre impressora para sublimação, e você pode conferir clicando aqui, mas agora abordaremos esse contexto do ponto de vista problemático. A regra é clara: não se faz sublimação com qualidade sem que a impressora seja especialmente projetada para comportar tinta sublimática e imprimir a arte apropriada para a prensagem.

E o que isso significa? A maioria das impressoras do mercado vêm equipadas com jatos de tintas para uso convencional em impressão de documentos, xerox e afins, mas a adaptação para sublimação se dá na instalação de um tanque externo (conhecido como Bulk-Ink) para tinta sublimática. É lá que a magia acontece: a tinta própria para sublimação, em contato com o papel sublimático no momento da impressão, fará com que a arte esteja própria para estampar uma caneca, camisa e demais substratos.

O erro bastante cometido é imprimir um desenho, frase ou qualquer outro tipo de personalização na impressora convencional sem a cabeça de impressão específica para Bulk-Ink. Sua arte não terá o perfil de cores vivo para o transporte ao substrato e é bem possível que sequer seja transmitido ao produto no momento da prensagem, visto que a alta temperatura e pressão da sublimação não serão suficientes para marcar a estampa no objeto.

Além desse probleminha da impressora incorreta, vale mencionar que impressoras adaptadas com Bulk-Ink necessitam de mais cuidado devido à sua densidade que pode causar entupimentos nos vasos conectores de tinta. É importante auxílio técnico e entendimento para um manuseio 100% do equipamento, evitando assim os possíveis transtornos.

Dica da Diferencial Print: não passe pelo problema de comprar a impressora errada, confira em nosso site o catálogo de impressoras próprias para sublimação com garantia e qualidade asseguradas!

Obs: temos um vídeo em nosso canal do YouTube que ensina como carregar impressora Epson com reservatório Bulk-Ink de tinta sublimática. Veja abaixo:

 

2 – Tempo, Temperatura e Pressão

O segundo tópico do texto aborda dúvidas frequentes até mesmo para quem já tem experiência no ramo: qual o tempo certo para prensagem? A temperatura é a mesma para todos os substratos? Como regular a pressão adequadamente? Já adiantamos que esses probleminhas não têm uma resposta pronta, mas vamos te dar o caminho para minimizar esses possíveis inconvenientes.

Você precisa ter em mente que tempo, temperatura e pressão atuam juntos, os três são indissociáveis para dar ao seu produto a personalização que se quer aplicar. É bem provável que no começo você cometa o erro de deixar um item na prensa um pouco a mais ou a menos do tempo preciso, mas logo haverá o costume diário de medir em quantos minutos ou segundos o material já estará pronto.

A pressão é o mais simples dos ajustes, pois é regulada unicamente e diretamente na prensa térmica. Lá você terá as medidas de pressão para configurar. Aqui vai uma dica: quanto menor e mais quebrável for o produto, menor será sua pressão. Pressões elevadas normalmente são aplicadas em materiais sem formas definidas ou que necessitem de calor maior em menos tempo. Está na dúvida do que fazer? Aplique pressão média em um único produto, retire-o da prensa e veja como ficou a estampa. A sua noção de pressão vai ficar mais apurada a partir disso.

Tempo e temperatura mal programados podem gerar inúmeros danos ao substrato: superaquecimento (podendo ocasionar deformação e quebra), má fixação da arte na superfície, estampa opaca e sem brilho e pouca durabilidade da sublimação – só para citar alguns deles. Mas como saber qual configuração ideal para cada item? Memorize essa dica: a tinta sublimática demanda uso obrigatório de temperatura mínima de, pelo menos, 200 ºC (duzentos graus célsius).

Já o tempo é bem mutável: camisas normalmente necessitam de tempo médio de apenas 25seg, capas no geral (para almofada, garrafa, notebook e etc) 25seg, toalhas, bolsas e bonés também 25seg. Alguns produtos bastam numa programação média de 20seg para estarem prontos: mouse pad, máscara de dormir e sacola pet, por exemplo. Atenção: todos os tipos de canecas (chopp, de vidro, chopp de alumínio, metal, etc) terão tempo de prensagem para mais de 180 segundos, no mínimo. Todas. Você terá se atentar ao tipo de composição do material: se é metal, alumínio ou outro composto. O indicado é procurar referências de prensagem para cada tipo e testar com um exemplar, para daí iniciar uma produção em massa.

Obs: a maior parcela das prensas atuais permite configuração dos três itens acima no painel próprio (que pode ser digital ou não), atente-se a isso quando for começar seu trabalho.

 

3 –  Material não resinado

Não basta simplesmente sair para comprar substratos dos mais diversos possíveis achando que todos eles poderão ser sublimados/estampados à sua maneira. Um erro cometido, especialmente por quem está dando os primeiros passos na sublimação, é não se atentar à resina do material.

E o que é resina? Indo direto ao ponto, a resina é uma espécie de secreção viscosa, não cristalina e insolúvel na água que vai revestir o artigo que será estampado, permitindo assim que o item suporte a intensa temperatura que a prensa térmica vai aplicar e, desta forma, fixe a arte em si. Não se trata de simplesmente comprar uma caneca, é preciso comprar uma caneca resinada, esta sim é apropriada para receber tempo, pressão e temperatura para sublimação. Isto se aplica a todo tipo de material personalizável.

Dica da Diferencial Print: adquira resina com a DP e deixe seus produtos prontos para receber a estampa dos seus sonhos. Confira também o nosso vasto catálogo de produtos prontos para sublimação já resinados.

Obs: quer aprender como resinar produtos? A Diferencial Print te mostra no vídeo abaixo, confira!

 

4 – Não usar Teflon

Um erro que tanto pode ser por falta de informação como também devido à correria do dia a dia de trabalho é a não utilização da manta teflon no momento da prensagem. Caso você não saiba o que é a manta teflon, lhe explicaremos em breves palavras: ela evita que os tecidos fiquem sujos ou amarelados após o processo de sublimação e também dá segurança aos próximos materiais que serão colocados na prensa sem que eles fiquem manchados de tinta usada anteriormente. É literalmente uma manta térmica de proteção às sujeiras de pigmentos indesejados ocasionadas na técnica da estamparia.

O teflon é insolúvel em solventes, resistente ao ataque de ácido corrosivo e tem ponto de fusão bem alto, garantindo durabilidade de uso. A mesma manta pode ser usada em incontáveis processos de personalização de tecidos. Quando há sublimação sem teflon, o risco de restos de tintas e demais sujeiras impactar nos tecidos que estão sendo estampados e nos que virão aumenta consideravelmente. O resultado? Transtorno com artigos borrados, sujos ou com resquício de tinta prejudicando a arte. Aposto que você não quer isso na sua produção, certo? Então não esqueça do Teflon!

Dica da Diferencial Print: confira no nosso site as opções de manta teflon para sublimação. Fuja dos problemas agora mesmo e compre conosco!

 

5 – Optar por materiais inferiores em qualidade apenas pelo preço barato

O último problema da lista é, na verdade, uma escolha motivada por uma simples razão: um único material inferior em qualidade pode ser capaz de estragar todo o seu planejamento e investimento na personalização de produtos. Não acredita? Experimente comprar uma tinta sublimática de segunda linha ou mesmo uma impressora de qualidade e adaptação inferior às tops de linha para sublimação. Você fatalmente não chegará nem na etapa de colocar o seu item personalizável na prensa.

Quando falamos em optar por materiais inferiores em qualidade apenas pelo preço barato, estamos nos referindo ao investimento que à priori pode parecer grande (ou elevado para aquele momento) podendo ser facilmente substituído pela compra de componentes de preço baixo, mas que não acompanham metade dos atributos dos elementos mais caros e com potencial de entrega beirando os 100%.

A nossa experiência nesse nicho nos traz segurança para afirmar que em muitos lugares você terá condição de comprar possíveis produtos para o trabalho de sublimação, mas sem garantia alguma de resina, de qualidade comprovada ou mesmo de reparo técnico em caso de quebra. E aí, com fica o investimento? Já pensou adquirir um papel que não o próprio para sublimação, estampar sua arte nele, fixa-lo na caneca e observar, depois de todo esse trabalho, que o desenho ficou falho, opaco ou sequer foi transferido? Você não só terá perda de material, como também um gasto a mais para elevar a qualidade das produções.

Invista sempre no melhor possível, essa é a dica de resolução que damos. A Diferencial Print é o lugar ideal para começar o trabalho ou turbinar seu projeto de sublimação já em andamento.

Obs: ficou alguma dúvida sobre os tópicos destacados? Quer saber mais sobre sublimação como um todo? Confira nosso vídeo manual básico da sublimação.

 

Considerações finais

Saiba que nessa lista estão inseridos apenas cinco erros, mas se você observar por aí haverão alguns outros empecilhos que tiram e ainda vão tirar o sono de muita gente. Esperamos ter ajudado nessa empreitada que é a sublimação, um processo que demanda criatividade, atenção e conhecimento. Até a próxima!

Compartilhe

Sobre o Autor